Proposta Pedagógica

 A Educativa é uma escola singular, que atende  e respeita as necessidades e especifidades de cada faixa etária (desde a educação infantil até o ensino médio). Está sempre  em contato com os estudos realizados em torno da educação, ora subindo nos ombros de gigantes reconhecidos historicamente como Rousseau, Montessori, Freinet, Piaget, Rogers, Skinner, Freire … ora ousando em explorar vertentes e novas metodologias pertinentes ao atual contexto social  e educacional. Contexto esse, marcado por constantes transformações e por contribuições tecnológicas e digitais.

Há o reconhecimento de que o  processo educativo não é linear, muito menos definido por  um único aspecto. Questões relacionadas à didática,  relações interpessoais,  capacidade de organização e planejamento são consideradas em nossa proposta pedagógica,  através das diferentes dimensões:

A dimensão pedagógica estabelece critérios para seleção de conteúdos, transposição didática, domínio sobre a matéria a ser discutida, adequação tempo/faixa etária/ conteúdo, objetivos, critérios para elaboração e aplicação de avaliação, elaboração de projetos, interdisciplinaridade, análise de livros, técnicas de ensino e aplicação de metodologias adequadas e diferenciadas.

Para que a dimensão pedagógica possa ser realizada de maneira bem planejada, nossa proposta também considera a importância da dimensão técnica. O processo educativo precisa ser bem planejado, organizado e executado. As  e os horários devem  devem ser cumpridos, assim como a documentação da escola deve sempre estar em ordem e em consonância  com as exigências legais.

Vários estudos mostram que a organização e o domínio técnico auxiliam muito na qualidade do processo educativo, mas reconhecem também que as relações interpessoais não devem ser desconsideradas. Dentro desta perspectiva, a proposta pedagógica  assume a importância dimensão humana em todo seu processo educativo. O bom vínculo entre as pessoas, o respeito ao desenvolvimento emocional, a cooperação, o respeito as particularidades e o incentivo as superações fazem parte do trabalho aqui realizado.

Desde sua fundação, a Educativa optou por buscar excelência em seu processo educativo, não seguindo uma única linha teórica para seu trabalho, mas sim, apoiando-se no que apresenta-se  como mais apropriado em algumas delas,  a fim de atender as necessidades dos educandos.  Dentro desta perspectiva, nossa proposta pedagógica mostra-se dialética, ao pressupor que a superação das contradições implica em movimento e as abordagens que a alicerçam  são: sistêmica (tradicional), humanista e cognitivista.

Com base em diversos levantamentos,  os conceitos básicos que devem permear a proposta pedagógica da Educativa e consequentemente as atividades realizadas no âmbito escolar são: autonomia, cooperação e conhecimento.

 

Conceitos norteadores  do trabalho

 A partir das reflexões feitas junto à comunidade, ao longo de 2014 e 2015, três conceitos foram apresentados como os norteadores dos trabalhos realizados na Educativa e incorporados a nossa proposta pedagógica. São eles: autonomia, cooperação e conhecimento.

A palavra autonomia, vem do grego e significa autogoverno, governar-se a si próprio. Portanto, ao assumir este conceito como um dos pilares da Educativa, assume-se também a perspectiva da formação de indivíduos que gradativamente possam agir de maneira autônoma, que saibam  fazer escolhas que lhes favoreçam em suas necessidades e capacidades. Busca-se a formação de pessoas que aprendam fazendo, aprendam pela vida e para a democracia (Dewey, 1859 -1952)

Piaget chamou de autonomia a capacidade do sujeito de elaborar normas próprias, a qual se constitui nas relações de cooperação: ‘esta noção de autonomia é empregada aqui sem uma conotação filosófica. Ela designa somente a possibilidade do sujeito de elaborar, ao menos em parte, suas próprias normas’ (Piaget, 1954: 534). Entendemos que a descoberta do sujeito de sua capacidade normativa é a condição primeira de sua autonomia moral. Isso lhe permite compreender a diferença entre uma norma social e uma lei física e que as coisas nem sempre são como devem ser” (Freitas, 2003, p. 92-93).

O conceito de  cooperação está diretamente vinculado a proposta original da Educativa: a de ser uma cooperativa educacional. “Uma cooperativa é uma sociedade de pessoas que se unem em um empreendimento de interesse comum, de propriedade coletiva e de gestão democrática.”

Se a autonomia pressupõe em sua primeira instância o autogoverno, a cooperação implica em atuar em parceria com outros com vistas a objetivos e interesses comuns. Para Marx (1988, p. 246), “a forma de trabalho em que muitos trabalham planejadamente lado a lado e conjuntamente, no mesmo processo de produção ou em processos de produção diferentes, mas conexos, chama-se cooperação”. No nosso caso, a cooperação entre todos os envolvidos no processo mostra-se fundamental. Equipe gestora, professores, alunos, funcionários, pais e comunidade em geral buscam discutir e executar os projetos da Educativa, de maneira democrática e com vistas ao bem da coletividade.

O conceito de conhecimento adotado pela Educativa está vinculado a sua perspectiva de atuar com  vistas a formação de sujeitos autônomos, engajados em práticas cooperativas. Ele é contínuo, podendo ser transformado/aprimorado a partir do desenvolvimento biológico do indivíduo e das  interações que ele  estabelece com o meio ou com outras pessoas.

O conhecimento também está marcado pelas influências do tempo,  do espaço e de uma sociedade em constante transformação. Da mesma forma  é assumido como ferramenta necessária ao indivíduo para que ele próprio possa se transformar e transformar o contexto que o cerca.  “ A elaboração e o desenvolvimento do conhecimento estão ligados ao processo de conscientização. O conhecimento é elaborado  e criado a partir do mútuo condicionamento, pensamento e prática. (Mizukami,1986. p.91).

 

Abordagem Teórico Metodológica

 Nossa proposta pedagógica reconhece  a interação entre mundo e ser humano em sua totalidade dinâmica, abrangendo os aspectos cognitivos, sociais, emocionais e biológicos. Um ser único, capaz de ser ator e autor crítico de sua história. Muitos são os caminhos possíveis para a concretização de uma proposta pedagógica que reconheça a interação mundo/ser humano como tal, mas a Educativa tem por princípio apoiar-se em três grandes abordagens  teórico metodológicas: sistêmica, humanista e cognitivista.

A abordagem sistêmica  apresenta concepções e práticas educacionais que perduraram ao longo dos tempos, em suas diferentes formas. A partir dela foi possível estabelecer uma quadro estruturado e diferenciado, para que as de demais abordagens começassem a se constituir. Nessa abordagem acredita-se que o professor seja o detentor do conhecimento e ao aluno caiba o papel de aprendiz.

“O ensino tradicional para Snyders, é ensino verdadeiro. Tem a pretensão de conduzir o aluno até o contato com as grandes realizações da humanidade: obras-primas da literatura e da arte, raciocínios e demonstrações plenamente elaborados, aquisições científicas atingidas pelos métodos mais seguros.” (Mizukami, 1986. p.08).

A abordagem humanista tem seu foco centrado nos sujeitos, no desenvolvimento da personalidade, na individualidade, mas também  na sua capacidade de atuação no contexto social de maneira integrada. Parte do princípio do ensino centrado no aluno e de que o professor  é o facilitador da aprendizagem e que os aspectos humanos e vitais devem ser considerados neste processo.

“Essa abordagem dá ênfase a relações interpessoais e ao crescimento que delas resulta, centrado no desenvolvimento da personalidade do indivíduo, em seus processos de construção e organização pessoal da realidade, e em sua capacidade de atuar, como uma pessoa integrada. Dá-se igualmente ênfase à vida psicológica e emocional do indivíduo e à preocupação com a sua orientação interna, com o autoconceito, com o desenvolvimento de uma visão autêntica de si mesmo, orientada para a realidade individual e grupal.” (Mizukami, 1986. p.38).

A abordagem cognitivista tem como concepção básica a forma como o indivíduo organiza o conhecimento, o processamento das informações, os estilos de pensamento, comportamentos relativos à tomada de decisões. Parte do princípio de que professor e aluno estabelecem uma relação mútua, onde o professor promove condições para que aluno seja  o próprio construtor de seu conhecimento.

“Uma abordagem cognitivista implica, dentre outros aspectos, se estudar cientificamente a aprendizagem como sendo mais que um produto do ambiente, das pessoas ou de fatores que são extremos ao aluno. Existe ênfase em processos cognitivos e na investigação científica separada dos problemas sociais contemporâneos. As emoções são consideradas em suas articulares com o conhecimento.Consideram-se a qui formas pelas quais as pessoas lidam com os estímulos ambientais, organizam dados, sentem e resolvem problemas, adquirem conceitos e empregam símbolos verbais. Embora se note preocupação com relações sociais, a ênfase dada é na capacidade do aluno integrar informações e processá-las. (Mizukami, 1986. p. 59).

É certo que outras vertentes   também influenciam nosso trabalho, uma vez que reconhecemos a ser humano como sujeito único e com possibilidades de aprendizagens diferenciadas. Ao reconhecer que existem diferentes sujeitos, com diferentes maneiras de se apropriar do conhecimento, reconhece-se também que há diversas possibilidades de ensino. Dentro desta perspectiva, a Educativa não ignora as contribuições dos diversos estudos ou abordagens  como a comportamentalista,   materialista dialética, crítico-social dos conteúdos,  teoria das múltiplas inteligências,  metodologias ativas, inovações tecnológicas, tecnologias de informação e comunicação etc.

As dimensões assumidas nesta proposta pedagógica estão diretamente ligadas à concepção teórico metodológica e aos conceitos selecionados. É prudente dizer que estas definições se misturam e se complementam em diversos aspectos, mas de forma sucinta, podemos estabelecer os seguintes paralelos:

Dimensão Pedagógica – abordagem  cognitiva – conceito de autonomia.

Dimensão técnica – abordagem sistêmica – conceito de conhecimento.

Dimensão humana – abordagem humanista – conceito de cooperação.

 

A escola dos nossos sonhos*

 Sonhamos com uma escola que contribua decisivamente para a formação de pessoas felizes, inteligentes e cultas. Para tal, julgamos indispensável que a escola conduza os educandos a um alto nível de compreensão das disciplinas curriculares bem como estimule a formação de uma personalidade independente, tolerante e persistente.

Acreditamos que o contínuo desenvolvimento da humanidade na direção de melhores condições de vida para todos prescinda de mudanças fundamentais e urgentes da estrutura social e da tecnologia vigente. Assim, desejamos que nossos alunos  sejam dotados de espírito crítico para serem agentes de transformação desta realidade social e tecnológica exercendo liderança responsável e sensível entre seus pares.

Temos a mais firme convicção que a vida dos nossos alunos será mais valiosa se balizada por princípios claros de justiça, ética e respeito a diferenças. Portanto, exigimos que a escola aborde teoricamente estes conceitos bem como os pratique proporcionando uma vida escolar baseada na liberdade, democracia e cooperação mútua. Sobretudo desejamos que a nossa escola evidencie em todas as suas práticas a prevalência de valores humanos em relação a valores materiais.

A escola dos nossos sonhos tem como pilar central o educador como guia do aprendizado. Prezando pela construção de equipes de trabalho com formação e culturas variadas, nossa escola estimula a formação continuada dos seus funcionários e os recompensa com excelentes condições de trabalho e salários dignos.

Usufruindo do ambiente municipal no qual se instala, a nossa escola estabelece relações profícuas com as Universidades e objetiva ser uma escola inovadora e de referência de qualidade de ensino.

Prezando pela multiculturalidade e internacionalização dos alunos, nossa escola oferece destaque ao ensino de línguas, mas não perde de vista o microcosmo da vida do aluno e considera as particularidades da sociedade local e da família os lastros principais da personalidade do indivíduo.

Sonhamos com uma escola que só pode ser sustentada por um clima de paixão universal: alunos e educadores apaixonados pelo processo de ensino-aprendizagem. Nesta escola, a aprendizagem é naturalmente ativa e aprender é um prazer contínuo e perene. O saber é integral e há multidisciplinaridade sem menosprezo de nenhuma área do conhecimento, artes e atividades físicas.

Mais que isso, nossa escola, na contramão do conteudismo vigente, sobrevaloriza o efeito das artes, atividades físicas e contato com a natureza na formação do caráter  e na construção da felicidade dos nosso alunos.

Em suma, a escola dos nossos sonhos é aquela que permitirá que nossos alunos  persigam com sabedoria todos os seus sonhos presentes e futuros, realizem boa parte deles e saibam lidar com as desilusões inevitáveis daqueles que se revelarem inalcançáveis. A escola dos nossos sonhos está constantemente em construção, ela é o mosaico dos sonhos de todos que participam do processo com sinceridade emocional e intelectual.

* Carta escrita pelos pais representantes do Conselho de Administração (CA) em 2014, indicando as expectativas em relação à Educativa.

REGIMENTO ESCOLAR

CALENDÁRIO ESCOLAR 2017

PLANO ESCOLAR 2017

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO